Dreams
quarta-feira, 24 julho 2024
spot_imgspot_img

Novo estudo revela: Ovos podem ser consumidos por pessoas com colesterol alto

Pesquisa da Universidade de Duke aponta que o consumo de ovos não representa risco para pessoas com condições cardiovasculares, desfazendo mitos antigos sobre o alimento.

Ovos e saúde cardiovascular

Desmistificando o consumo de Ovos

Durante anos, o debate sobre os efeitos do consumo de ovos em pessoas com alto risco de doenças cardiovasculares gerou controvérsias. Um recente estudo conduzido pela Universidade de Duke, nos Estados Unidos, trouxe luz a essa discussão, revelando que o ovo, um alimento antes questionado por seu conteúdo de colesterol, é seguro e até benéfico para esse grupo de pessoas.

O estudo: metodologia e descobertas

A pesquisa envolveu 140 participantes com alto risco para doenças cardiovasculares, com idade média de 66 anos. Divididos aleatoriamente, um grupo consumiu 12 ovos fortificados por semana, enquanto o outro se limitou a menos de dois ovos de qualquer tipo no mesmo período. Após quatro meses de acompanhamento, foi observada uma leve queda no colesterol ruim nos indivíduos que consumiram maior quantidade de ovos, além de melhorias na resistência à insulina e aumento nos níveis de vitamina B.

Fique ligado! Participe do nosso canal do WhatsApp! Quero Participar

Implicações do estudo

A pesquisa destaca que o consumo de ovos, por si só, não acarreta efeitos adversos em marcadores de saúde cardiovascular. Essa descoberta aponta para a possibilidade de revisão das diretrizes dietéticas para pessoas com risco de doenças cardíacas, sugerindo que os ovos podem ser incorporados de maneira segura à alimentação.

O verdadeiro vilão: Acompanhamentos não saudáveis

Nina Nouhravesh, principal autora do estudo, enfatiza que o potencial risco associado ao consumo de ovos pode estar mais relacionado aos acompanhamentos tradicionalmente consumidos com o alimento, como bacon e carnes processadas, do que ao ovo em si. A pesquisa sugere que uma dieta balanceada, potencialmente incluindo ovos, pode ser desenvolvida para pacientes com risco cardiovascular, sempre com orientação médica.

Um passo à frente na nutrição

Os resultados obtidos pela Universidade de Duke contribuem significativamente para desfazer antigos mitos sobre a relação entre o consumo de ovos e o risco de doenças cardiovasculares. Ao destacar os benefícios potenciais dos ovos fortificados e a importância de escolhas alimentares saudáveis, o estudo incentiva uma abordagem mais flexível e informada na elaboração de dietas para indivíduos com alto risco de complicações cardíacas.

COMPARTILHE ESTE POST:

Gabriel Figueiredo
Gabriel Figueiredo
Gabriel Figueiredo, jornalista baiano, nascido em Feira de Santana, com mais de 15 anos de experiência, é referência em notícias locais e inovação do Minha Bahia.
MAIS NOTÍCIAS

Mais populares