Dreams
sábado, 20 julho 2024
spot_imgspot_img

Guerra na Ucrânia: Lula diz não ser obrigado a ter mesmo nervosismo dos europeus

Presidente Lula adota postura diferenciada em relação à guerra na Ucrânia, contrastando com a tensão europeia.

Lula destaca distância do Brasil da Guerra na Ucrânia

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em recentes declarações, ressaltou que o Brasil não precisa compartilhar do mesmo “nervosismo” europeu em relação à guerra na Ucrânia, dada a distância geográfica. Durante a visita de Estado do presidente francês Emmanuel Macron ao Brasil, Lula enfatizou a importância da negociação e do diálogo como meios de resolver o conflito.

Visão brasileira sobre o conflito

Lula expressou que, apesar de reconhecer a gravidade da situação na Ucrânia, a posição do Brasil permite uma abordagem mais calma e focada na paz. “Os dois bicudos vão ter que se entender”, disse Lula, referindo-se aos líderes da Rússia e Ucrânia, Vladimir Putin e Volodimir Zelenski.

Fique ligado! Participe do nosso canal do WhatsApp! Quero Participar

Reações às declarações de Lula

As declarações de Lula geraram discussões, especialmente por suas anteriores posições percebidas como pró-Rússia. Ele já sugeriu que a Ucrânia poderia ceder a Crimeia para encerrar o conflito, uma proposta que encontrou resistência, especialmente na Europa.

Convite a Putin para o G-20 no Rio

Lula defendeu a participação de Putin na cúpula do G-20 no Rio, apesar de um mandado de prisão internacional contra o líder russo. O presidente brasileiro reiterou a importância do diálogo entre as nações, mesmo na presença de desacordos.

Macron e a diplomacia francesa

Emmanuel Macron, por sua vez, enfatizou a responsabilidade da diplomacia brasileira em lidar com o convite a Putin, indicando que a presença do líder russo no G-20 deve ser uma decisão tomada com respeito mútuo e consenso.

Cooperação estratégica Brasil-França

Além da guerra na Ucrânia, Lula e Macron discutiram a ampliação da cooperação estratégica em defesa e a importância da educação midiática para combater o discurso de ódio. Ambos os líderes destacaram a resistência de suas nações às forças extremas que desafiam a democracia.

COMPARTILHE ESTE POST:

Gabriel Figueiredo
Gabriel Figueiredo
Gabriel Figueiredo, jornalista baiano, nascido em Feira de Santana, com mais de 15 anos de experiência, é referência em notícias locais e inovação do Minha Bahia.
MAIS NOTÍCIAS

Mais populares