Dreams
terça-feira, 23 julho 2024
spot_imgspot_img

Houve sabotagem na investigação do caso Marielle Franco por Polícia Civil do RJ, aponta PF

Relatório da Polícia Federal destaca uma série de falhas na investigação do assassinato de Marielle Franco pela Polícia Civil do RJ, sugerindo sabotagem no caso.

Relatório da PF critica atuação da Polícia Civil do RJ no caso Marielle Franco

Sabotagem e falhas na investigação

Uma análise detalhada feita pela Polícia Federal sobre o assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes revelou falhas críticas na investigação conduzida pela Polícia Civil do Rio de Janeiro. De acordo com o relatório, a ausência de identificação dos mandantes do crime, mesmo após seis anos do ocorrido, é atribuída a uma série de erros e potencial sabotagem na investigação inicial.

Ações de Rivaldo Barbosa sob suspeita

O relatório aponta Rivaldo Barbosa, então chefe da Polícia Civil, como um dos principais responsáveis por garantir que a investigação não prosseguisse adequadamente. Barbosa e o delegado Giniton Lages, que liderou a investigação, negam qualquer envolvimento no crime.

Fique ligado! Participe do nosso canal do WhatsApp! Quero Participar

Prisões e delação premiada

As recentes prisões de Domingos e Chiquinho Brazão, apontados como mandantes do assassinato, bem como a delação premiada de Ronnie Lessa, executor do crime, são alguns dos desenvolvimentos mais significativos do caso, conforme informado pela PF.

Críticas às diligências conduzidas

A PF critica a abordagem da Polícia Civil do RJ, destacando a ausência de diligências eficazes e a manipulação da direção da investigação. Esse comportamento teria prejudicado severamente a capacidade de angariar provas cruciais nos momentos iniciais após o crime.

Consequências das falhas na investigação

Entre as falhas apontadas estão a má gestão das imagens de câmeras de segurança, a utilização questionável de denúncias anônimas e a perda de materiais relevantes para a investigação. Essas ações teriam impedido a rápida identificação dos executores e mandantes, além de dificultar a coleta de evidências substanciais.

COMPARTILHE ESTE POST:

Gabriel Figueiredo
Gabriel Figueiredo
Gabriel Figueiredo, jornalista baiano, nascido em Feira de Santana, com mais de 15 anos de experiência, é referência em notícias locais e inovação do Minha Bahia.
MAIS NOTÍCIAS

Mais populares