Dreams
quarta-feira, 24 julho 2024
spot_imgspot_img

Redução de 586% nas apreensões de espadas de fogo na Bahia em 2024

A fabricação ilegal de espadas de fogo é combatida na Bahia, resultando em uma redução de 586% nas apreensões. Saiba mais sobre as ações e apreensões realizadas nas cidades do Recôncavo e Senhor do Bonfim.

Redução nas apreensões de espadas de fogo na Bahia em 2024

A fabricação ilegal de espadas de fogo na Bahia, tradicionais em algumas localidades e proibidas por lei, é combatida de forma intensa pelas autoridades. Em ações preventivas e através de investigações e denúncias, as apreensões desses artefatos tiveram uma redução significativa de 586% em 2024. Até ontem, pelo menos 767 espadas foram apreendidas no estado este ano, enquanto no mesmo período de 2023, 4,5 mil espadas haviam sido localizadas e recolhidas pelas forças de segurança.

Contexto e ações das autoridades

Sem um estudo consolidado sobre os números parciais deste ano em comparação com o mesmo período de 2023, a Polícia Civil ainda não possui uma avaliação do Instituto de Estatística para afirmar se o menor volume apreendido em 2024 é reflexo das decisões judiciais e do consequente menor mercado consumidor destes artefatos.

Fique ligado! Participe do nosso canal do WhatsApp! Quero Participar

Após os festejos que se intensificam neste final de semana, será possível uma avaliação mais contundente, conforme a promotora de Justiça de Senhor do Bonfim, Aline Curvêlo Tavares de Sá. Ela considerou cedo para fazer esta análise, considerando que os principais dias dos festejos ainda estão por vir e outras apreensões podem ocorrer no estado.

Decisões judiciais e foco das ações

A promotora chamou a atenção para a proibição da soltura deste tipo de artefato, ligada à não legalidade da fabricação. Ela citou decisões judiciais do Tribunal de Justiça da Bahia, Superior Tribunal de Justiça e Superior Tribunal Federal, que já se posicionaram pela ilegalidade desta prática. “Já temos pessoas cumprindo penas por isso”, afirmou Aline Curvêlo.

As regiões do Recôncavo e de Senhor do Bonfim são os principais focos das ações no estado, onde ocorreram as principais apreensões. Além das espadas, farto material para a produção dos fogos de artifício clandestinos foi apreendido. Três pessoas foram presas por estarem fabricando ou revendendo, sendo uma mulher em Senhor do Bonfim e dois homens no Recôncavo.

Ações coordenadas e segurança

Nas duas regiões, o Ministério Público estadual está com ações coordenadas devido à necessidade de atenção especial. Nos demais municípios baianos, o MP atua com base nas demandas que surgirem durante o Plantão Judiciário, em parceria com demais órgãos de segurança do estado.

Aline Curvêlo, junto com a promotora Itala Suzana da Silva Carvalho, conduziu uma reunião em Senhor do Bonfim para debater o assunto. Apesar da tradição, por serem de fabricação clandestina e conterem quantidades de pólvora muito acima do que é considerado seguro, as espadas representam perigo não só para quem está brincando. O encontro, solicitado pelo Conselho de Política Cultural do município, contou com a presença de autoridades policiais da região.

Representantes e regularização

A Associação Cultural dos Espadeiros de Senhor do Bonfim foi representada por Alexsandro Barbosa e Hyezza Lavínia. Eles afirmaram que os associados estão cientes da necessidade de respeitar as decisões da Justiça e destacaram que o grupo busca a regularização das espadas juninas em diferentes frentes de trabalho, com a perspectiva de breve obter autorização para a produção legal e segura.

Principais apreensões em 2024

Entre as apreensões de espadas juninas deste ano, a maior ocorreu em Cruz das Almas, onde 522 unidades prontas para comercialização foram confiscadas. Em Senhor do Bonfim, foram 73 artefatos, e em Filadélfia, 172 espadas. Todas as situações estão sendo investigadas pela Polícia Civil da Bahia, através das Delegacias Territoriais.

Casos de queimaduras e festejos juninos

Mesmo em locais sem a tradição das espadas de fogo, o forte costume de festejar os santos juninos com fogos de artifício resulta em aumento de casos de queimaduras. Comparando os dias 23 e 24 de junho de 2022 e 2023, os números variaram no estado. Em Juazeiro e Santo Antônio de Jesus, houve uma redução de 62% e 41%, respectivamente, enquanto no Hospital Geral do Estado os casos aumentaram de 23 para 39.

COMPARTILHE ESTE POST:

Gabriel Figueiredo
Gabriel Figueiredo
Gabriel Figueiredo, jornalista baiano, nascido em Feira de Santana, com mais de 15 anos de experiência, é referência em notícias locais e inovação do Minha Bahia.
MAIS NOTÍCIAS

Mais populares