Dreams
terça-feira, 23 julho 2024
spot_imgspot_img

Pablo Marçal escorrega em declarações sobre mulheres e Bolsonaro durante sabatina

O pré-candidato à Prefeitura de São Paulo, Pablo Marçal, enfrentou críticas por suas falas sobre "mulheres incompetentes" e contradições sobre o apoio a Bolsonaro durante sabatina. Confira os detalhes das declarações polêmicas.

Pablo Marçal escorrega durante Sabatina

O pré-candidato à Prefeitura de São Paulo, Pablo Marçal (PRTB), cometeu deslizes em suas falas sobre “mulheres incompetentes” e se contradisse sobre o apoio ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) durante uma sabatina realizada nesta quarta-feira (10). Durante a entrevista a jornalistas da Folha e do UOL, o ex-coach também fez declarações polêmicas sobre tarifa zero nos ônibus da capital aos domingos e sobre controle de mídia.

Declarações Polêmicas e Contradições

‘E se ela for incompetente?’
Marçal foi questionado sobre a possibilidade de sua futura candidata a vice ser mulher e respondeu: “Eu espero que seja uma mulher”. Quando perguntado se não tinha poder de decisão sobre o assunto, ele rebateu: “Não funciona assim. Não é romance a política. […] Se eu falar ‘eu quero uma mulher’, e se ela for incompetente?”. Em seguida, ele comparou essa situação à parceria do ex-ministro da Justiça Sergio Moro com Bolsonaro, que ele considera ter sido desastrosa.

Fique ligado! Participe do nosso canal do WhatsApp! Quero Participar

‘Eu não falei que precisa [ser casada]’
Ao falar sobre sua adversária Tabata Amaral (PSB), ele negou ter dito que é preciso ser casada e ter filhos para ser prefeita de São Paulo. No entanto, em um vídeo recente, Marçal havia afirmado que Amaral não saberia lidar com os problemas da cidade por não ter experiência em casamento e filhos. Na sabatina, ele tentou esclarecer: “Eu falei que ela é uma garota e tem que amadurecer”.

‘Bolsonaro que arque com isso’
Quando questionado sobre a investigação envolvendo a venda de joias recebidas pelo governo brasileiro, Marçal inicialmente disse: “Se não pode vender no exterior, ele que arque com isso”. Depois, passou a defender Bolsonaro, sugerindo que a cobertura da mídia sobre o caso é uma forma de desviar a atenção do aumento do gás e da gasolina no governo Lula (PT).

‘Eu não falei [que queria o apoio]’
Marçal também negou já ter dito que gostaria do apoio de Bolsonaro, embora tenha afirmado isso em entrevista à Folha há pouco mais de um mês. Na sabatina, ele contestou: “Eu não falei isso, isso são palavras suas [da repórter]”.

‘O povo não quer ficar rodando na cidade no final de semana’
Sobre a tarifa zero nos ônibus de São Paulo aos domingos, Marçal inicialmente afirmou que “o povo não quer ficar rodando na cidade no final de semana, eu imagino. A pessoa quer descanso”. No entanto, depois disse que iria consultar a população para decidir sobre a manutenção da medida.

Reações e Impacto

As declarações de Pablo Marçal durante a sabatina geraram críticas e repercussão negativa, principalmente em relação às suas falas sobre mulheres e sua postura contraditória em relação a Bolsonaro. Com 10% das intenções de voto, segundo pesquisa Datafolha, Marçal está atrás do prefeito Ricardo Nunes (MDB) e do deputado federal Guilherme Boulos (PSOL), que lideram a corrida com 24% e 23%, respectivamente.

A sabatina revelou aspectos controversos das opiniões e estratégias de Marçal, levantando questões sobre sua capacidade de lidar com temas sensíveis e seu preparo para assumir a Prefeitura de São Paulo.

COMPARTILHE ESTE POST:

Gabriel Figueiredo
Gabriel Figueiredo
Gabriel Figueiredo, jornalista baiano, nascido em Feira de Santana, com mais de 15 anos de experiência, é referência em notícias locais e inovação do Minha Bahia.
MAIS NOTÍCIAS

Mais populares