Dreams
segunda-feira, 22 julho 2024
spot_imgspot_img

Evento de Bolsonaro no Rio terá financiamento coletivo e presença de Alexandre Ramagem e Cláudio Castro

O próximo ato político de Jair Bolsonaro no Rio contará com a presença do governador Cláudio Castro e do deputado Alexandre Ramagem, marcando um momento crucial para demonstrar alianças e estratégias políticas.

Manifestação política de Bolsonaro no Rio reforça laços com lideranças locais

A nova manifestação convocada pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) para o próximo domingo, 21, no Rio, terá como figuras centrais no palanque o governador Cláudio Castro (PL) e o deputado federal Alexandre Ramagem (PL-RJ). A participação de ambos é vista como crucial: Castro tem a oportunidade de demonstrar sua lealdade a Bolsonaro, enquanto Ramagem busca aumentar sua visibilidade como pré-candidato à prefeitura do Rio ao lado de seu principal apoiador.

Contexto político e expectativas para o ato

Este evento é especialmente significativo para Cláudio Castro, que não participou do último ato convocado por Bolsonaro na Avenida Paulista, justificando uma viagem a Portugal. Agora, ao se envolver no ato em sua base, o governador do Rio enfrenta expectativas elevadas dos apoiadores de Bolsonaro. Segundo o pastor evangélico Silas Malafaia, um dos organizadores, Castro terá a liberdade de discursar se assim desejar, ao contrário do que ocorreu em São Paulo, onde Malafaia absorveu os custos do evento. Desta vez, os gastos serão cobertos por uma “vaquinha” entre deputados.

Fique ligado! Participe do nosso canal do WhatsApp! Quero Participar

Financiamento do evento e estrutura planejada

O custo estimado para a estrutura do dia é de R$ 125 mil, que será financiado por deputados federais bolsonaristas, como Sóstenes Cavalcante (RJ), Bia Kicis (DF), e Eduardo Bolsonaro (SP), conforme afirmado por Malafaia. O pastor também declarou que gerenciará os recursos doados, enfatizando sua intenção de não financiar o evento com recursos pessoais.

Considerações legais e precauções eleitorais

Alexandre Ramagem, que é ex-diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e atualmente investigado por supostas espionagens ilegais, confirmou presença no evento. No entanto, ele não deverá discursar, para evitar acusações de propaganda eleitoral antecipada. Esta precaução reflete a complexidade da legislação eleitoral e a necessidade de navegar cuidadosamente durante períodos pré-eleitorais.

Contexto investigativo e ações judiciais

A convocação para o ato ocorre em um momento delicado, com Bolsonaro e seus aliados sendo recentemente alvos de investigações por uma suposta tentativa de golpe de Estado. O próprio evento foi anunciado como uma oportunidade para “levar informações sobre o nosso Estado Democrático de Direito” e abordar “a maior fake news da história do Brasil”, relacionada às alegações de um golpe, o que indica a estratégia de Bolsonaro de usar o evento para reforçar sua narrativa perante seus seguidores.

COMPARTILHE ESTE POST:

Gabriel Figueiredo
Gabriel Figueiredo
Gabriel Figueiredo, jornalista baiano, nascido em Feira de Santana, com mais de 15 anos de experiência, é referência em notícias locais e inovação do Minha Bahia.
MAIS NOTÍCIAS

Mais populares