Dreams
sábado, 20 julho 2024
spot_imgspot_img

Inquérito revela discussão de decreto golpista por Bolsonaro com planos de detenção de Moraes, segundo PF

Operação Tempus Veritatis desvenda plano de golpe com envolvimento de Bolsonaro e militares, focando na prisão de figuras-chave do STF e do Senado.

Inquérito da PF expõe planos golpistas ligados a Bolsonaro e altos Militares

Na luz da recente Operação Tempus Veritatis, deflagrada nesta quinta-feira pela Polícia Federal, um documento revelador veio à tona. Sob autorização do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, um trecho destacado de um relatório policial mostra que o ex-presidente Jair Bolsonaro teve em mãos uma proposta de decreto que visava a execução de um golpe de Estado, conforme entregue por um assessor direto.

Reuniões estratégicas e objetivos do Golpe

O documento mencionado pelo ministro Moraes detalha reuniões entre militares ativos e aposentados, discutindo a logística do golpe, além de encontros no Palácio da Alvorada. Tais encontros, com Bolsonaro à mesa, exploraram a adesão militar a essa trama golpista. Seis núcleos foram identificados pela PF, englobando desde desinformação até a legitimação das ações por oficiais de alta patente.

Fique ligado! Participe do nosso canal do WhatsApp! Quero Participar

Principais alvos e ações da Operação

Nesta operação sem precedentes, foram executados 48 mandados judiciais, incluindo quatro prisões. Dentre os investigados, figuram nomes de peso como o ex-chefe do GSI, General Augusto Heleno, e o ex-ministro da Defesa, General Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira. A operação também mirou em Anderson Torres, ex-ministro da Justiça, e Filipe Martins, ex-assessor para Assuntos Internacionais, este último preso no Paraná.

A Minuta Golpista e suas implicações

A proposta de decreto, entregue a Bolsonaro em 2022, sugeria a prisão de figuras-chave como os ministros Alexandre de Moraes e Gilmar Mendes, e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco. O documento também falava em novas eleições baseadas em supostos indícios de fraude eleitoral. Bolsonaro teria solicitado a retirada dos nomes de Mendes e Pacheco do texto, indicando sua participação ativa no planejamento.

Investigações e evidências

As investigações destacam uma reunião convocada por Bolsonaro, visando a disseminação de informações falsas sobre as eleições. A gravação dessa reunião e mensagens extraídas dos celulares de colaboradores próximos a Bolsonaro fornecem um panorama detalhado do planejamento golpista.

Fonte: Agência Brasil

COMPARTILHE ESTE POST:

Gabriel Figueiredo
Gabriel Figueiredo
Gabriel Figueiredo, jornalista baiano, nascido em Feira de Santana, com mais de 15 anos de experiência, é referência em notícias locais e inovação do Minha Bahia.
MAIS NOTÍCIAS

Mais populares