Dreams
segunda-feira, 22 julho 2024
spot_imgspot_img

Agentes de Saúde de Catu ameaçam parar devido a atrasos nos pagamentos durante epidemia de dengue

Entenda a ameaça de paralisação dos agentes de saúde em Catu e o impacto potencial na luta contra a epidemia de dengue. Acesse para mais informações.

Crise em Catu: Agentes de Saúde ameaçam paralisação por falta de pagamentos

Em meio a um alerta de epidemia de dengue na Bahia, a situação em Catu se agrava com uma possível paralisação de 144 Agentes Comunitários de Saúde. O motivo? Atrasos nos pagamentos de vantagens adquiridas, uma situação que persiste desde a posse do atual prefeito, Pequeno Sales (PT), apesar de acordos previamente firmados.

Detalhes do impasse

Os agentes, essenciais no combate à dengue, estão sem receber parte de suas remunerações, conforme o acordo de 2020 que prometia a restituição de vantagens estabelecidas pela lei nº 12.994/2014. Esta lei define o piso salarial e o plano de carreira para a categoria, que não está sendo cumprido em Catu desde a atual gestão municipal.

Fique ligado! Participe do nosso canal do WhatsApp! Quero Participar

Protestos e reivindicações

Em resposta, os trabalhadores organizaram um protesto diante da prefeitura para destacar a urgência da situação. “O prefeito gastou grandes somas em festas e comunicação, deixando de lado prioridades essenciais como a saúde pública”, relatou um dos agentes, sob anonimato, ressaltando a ironia da situação dada a crise de saúde pública atual.

Posição da prefeitura

Apesar das reivindicações e protestos, a Prefeitura de Catu nega as acusações de atrasos nos pagamentos. Em declaração ao Portal A TARDE, representantes do governo municipal afirmaram que todos os pagamentos estão em dia, contradizendo as afirmações dos agentes de saúde.

COMPARTILHE ESTE POST:

Marina Carvalho
Marina Carvalho
Jornalista dinâmica especializada em multimídia e narrativa digital, com 10 anos de carreira. Liderou projetos de jornalismo móvel, trazendo inovação e interatividade para a cobertura de notícias.
MAIS NOTÍCIAS

Mais populares