Dreams
quinta-feira, 18 julho 2024
spot_imgspot_img

Polícia Federal realiza buscas na casa de ex-executivos da Americanas

Operação Disclosure, deflagrada pela Polícia Federal, investiga ex-diretores da Americanas por crimes contra o mercado financeiro e organização criminosa. Entre os 14 alvos, estão o ex-presidente Miguel Gutierrez e o ex-CEO João Guerra Duarte Neto.

Polícia Federal deflagra Operação Disclosure

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quinta-feira (27/6), a Operação Disclosure, para investigar supostos crimes contra o mercado financeiro e organização criminosa cometidos por ex-diretores e ex-executivos da Lojas Americanas. Entre os alvos, estão importantes nomes, como o ex-presidente da rede, Miguel Gutierrez, e o ex-CEO João Guerra Duarte Neto. Ao todo, são 14 investigados.

Mandados cumpridos no Rio de Janeiro

Os mandados estão sendo cumpridos no Rio de Janeiro. Os crimes pelos quais os ex-executivos são investigados são manipulação de mercado e uso de informação privilegiada.

Fique ligado! Participe do nosso canal do WhatsApp! Quero Participar

Fraudes e vantagens indevidas

Segundo a decisão judicial que autorizou a operação policial, a PF atribui aos investigados “manobras fraudulentas” destinadas a alterar “os resultados reais da empresa, com o objetivo de receber vantagens indevidas com o pagamento de bônus por metas atingidas, e elevar de forma ilícita a cotação das ações das Americanas, pois, assim, gerariam ganhos financeiros não justificados, visto que alguns dos investigados tinham participação acionária nas empresas”.

Prejuízo aos acionistas minoritários

Segundo investigadores, as manobras “causaram grande prejuízo para os demais acionistas, principalmente aos minoritários, que, em razão da falsa saúde financeira das empresas, operavam transações acionárias com preços inflacionados”. Os crimes investigados são os de manipulação de mercado e uso de informação privilegiada.

Delações premiadas e fraudes

As investigações foram abastecidas pelas delações premiadas dos ex-diretores Marcelo da Silva Nunes e Flávia Pereira Carneiro Mota. Eles contaram, em delação premiada, que as fraudes se iniciavam com o preparo, pela equipe de Relações com Investidores, de um arquivo chamado “verdes e vermelhos”, que fazia parte de um “kit de fechamento trimestral”. Nele, constava a expectativa de crescimento por parte de analistas de mercado. Segundo as delações, quando elas não eram atingidas, a diretoria mudava os resultados “para não frustrar as expectativas de mercado”.

Documentos obtidos pela PF

Cópias desses arquivos “Verdes e Vermelhos” foram obtidas pela Polícia Federal. Eles mostram o comparativo entre os números prévios e as expectativas de mercado. Há, ainda, conversas e e-mails entre executivos da rede varejista que mostram ordens internas para incrementar números reais para que ficassem próximos do esperado pelo mercado.

Alvos da operação

São alvos da operação da PF Anna Christina Soteto, Carlos Eduardo Padilha, Anna Saicali, Fabio Abrate, Jean Pierre Ferreira, Fabien Picavet, Luiz Augusto Henriques, João Guerra Duarte Neto, José Timotheo de Barros, Murilo dos Santos Correa, Marcio Cruz Meirelles, Maria Christina Do Nascimento e Raoni Lapagesse Franco.

COMPARTILHE ESTE POST:

Gabriel Figueiredo
Gabriel Figueiredo
Gabriel Figueiredo, jornalista baiano, nascido em Feira de Santana, com mais de 15 anos de experiência, é referência em notícias locais e inovação do Minha Bahia.
MAIS NOTÍCIAS

Mais populares