Dreams
segunda-feira, 22 julho 2024
spot_imgspot_img

Nova era no combate ao crime organizado no Rio após avanços no caso Marielle

A prisão dos irmãos Brazão marca um ponto de virada nas investigações do caso Marielle Franco, sinalizando um novo capítulo no combate ao crime organizado no Rio de Janeiro.

Nova era no combate ao crime organizado no Rio após avanços no caso Marielle

Prisões significativas e suas implicações

No último domingo, dia 24 de março, a Polícia Federal realizou a prisão preventiva de três indivíduos ligados ao assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes. Entre os detidos estão Domingos Brazão, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro; Chiquinho Brazão, deputado federal recentemente expulso pelo União Brasil; e Rivaldo Barbosa, ex-chefe da Polícia Civil do Rio. Essas prisões marcam um momento crucial nas investigações, sugerindo um avanço significativo no entendimento e combate ao crime organizado na capital fluminense.

A revelação dos autores intelectuais

O Ministério Público Federal aponta os detidos como autores intelectuais do crime que chocou o país em março de 2018. A delação premiada de Ronnie Lessa, ex-policial militar, foi fundamental para a operação, revelando os irmãos Brazão como os mentores do assassinato de Marielle Franco.

Fique ligado! Participe do nosso canal do WhatsApp! Quero Participar

combate ao crime organizado,Marielle Franco

Impacto além do caso Marielle

O ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski, destacou em coletiva a importância desse avanço para o desvelamento de outras operações criminosas no Rio.

“Tenho a impressão de que, a partir desse caso, nós podemos talvez desvendar outros casos, ou pelo menos seguir o fio da meada de um novelo cuja dimensão ainda não temos clara, mas essa investigação é a espécie de uma radiografia de como operam as milícias e o crime organizado no Rio de Janeiro, e como há um entrelaçamento inclusive com alguns órgãos políticos e alguns órgãos públicos”, afirmou.

Desdobramentos importantes

Além do caso Marielle, a investigação já contribuiu para desvendar outros crimes no Rio, como a condenação de Laerte Silva, infiltrado dos irmãos Brazão no PSol, relacionado a organizações criminosas em Muzema e Rio das Pedras. A denúncia contra o ex-capitão do Bope, Adriano da Nóbrega, pela atuação no “Escritório do Crime”, também destaca a amplitude das operações investigadas.

As prisões dos envolvidos no caso Marielle Franco não apenas apontam para a solução de um dos crimes mais emblemáticos dos últimos anos no Brasil, mas também abrem caminho para uma nova fase de combate ao crime organizado no Rio de Janeiro, com esperança de mais segurança e justiça para a população.

COMPARTILHE ESTE POST:

Gabriel Figueiredo
Gabriel Figueiredo
Gabriel Figueiredo, jornalista baiano, nascido em Feira de Santana, com mais de 15 anos de experiência, é referência em notícias locais e inovação do Minha Bahia.
MAIS NOTÍCIAS

Mais populares