Dreams
quinta-feira, 18 julho 2024
spot_imgspot_img

Polícia Federal indicia Bolsonaro no caso das joias sauditas

Ex-presidente Jair Bolsonaro é indiciado pela Polícia Federal por desviar e vender presentes de autoridades estrangeiras durante seu governo. Saiba mais sobre o caso e as investigações.

Polícia Federal indicia Bolsonaro no caso das joias sauditas

Investigação e indiciamento

A Polícia Federal (PF) indiciou nesta quinta-feira (4) o ex-presidente Jair Bolsonaro no caso das joias sauditas. O relatório parcial da investigação foi enviado na tarde de hoje ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), relator do caso.

A investigação apurou o funcionamento de uma organização criminosa para desviar e vender presentes de autoridades estrangeiras durante o governo Bolsonaro. Conforme regras do Tribunal de Contas da União (TCU), os presentes de governos estrangeiros deviam ser incorporados ao Gabinete Adjunto de Documentação Histórica (GADH), setor da Presidência da República responsável pela guarda dos presentes, que não poderiam ficar no acervo pessoal de Bolsonaro.

Fique ligado! Participe do nosso canal do WhatsApp! Quero Participar

Detalhes dos desvios

De acordo com as investigações, os desvios começaram em meados de 2022 e terminaram no início do ano passado. As vendas eram operacionalizadas pelo ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, Mauro Cid. Os presentes, que deveriam ser mantidos sob custódia do GADH, foram desviados para o acervo pessoal de Bolsonaro, contrariando as normas estabelecidas pelo TCU.

Regulamentação do TCU

Segundo as regras do Tribunal de Contas da União, presentes recebidos por autoridades brasileiras de governos estrangeiros são considerados patrimônio público e devem ser integrados ao acervo histórico da Presidência da República. Essa regulamentação visa assegurar a transparência e a preservação dos presentes como parte do patrimônio nacional, impedindo seu uso para fins pessoais.

Operacionalização das vendas

As investigações revelaram que Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, foi o responsável por operacionalizar as vendas dos presentes desviados. A PF apurou que os objetos foram vendidos de forma clandestina, gerando lucros que não foram declarados e que configuram crime de peculato e organização criminosa.

Próximos passos da investigação

O relatório parcial enviado ao ministro Alexandre de Moraes é apenas uma etapa das investigações. A PF continua apurando o caso e novos desdobramentos podem ocorrer. Bolsonaro e seus advogados ainda podem apresentar suas defesas e recorrer das acusações.

Repercussão e consequências

O indiciamento de Jair Bolsonaro no caso das joias sauditas representa um marco significativo nas investigações sobre sua administração. Caso seja comprovada a participação do ex-presidente nos desvios e vendas ilegais, ele poderá enfrentar sérias consequências legais, incluindo a possibilidade de prisão e inelegibilidade para futuros cargos públicos.

Conclusão

O caso das joias sauditas é mais um capítulo controverso na trajetória de Jair Bolsonaro. As investigações continuam e o desfecho desse processo pode ter profundas implicações para a política brasileira e para o próprio ex-presidente.

COMPARTILHE ESTE POST:

Gabriel Figueiredo
Gabriel Figueiredo
Gabriel Figueiredo, jornalista baiano, nascido em Feira de Santana, com mais de 15 anos de experiência, é referência em notícias locais e inovação do Minha Bahia.
MAIS NOTÍCIAS

Mais populares