Dreams
domingo, 21 julho 2024
spot_imgspot_img

Planos de saúde e alimentos lideram inflação de março, segundo IBGE

Alta nos preços de planos de saúde, tomate e cebola contribuem para inflação de 0,16% de março, com destaque para o impacto do El Niño na oferta de alimentos.

Alimentos e planos de saúde impulsionam inflação de março, aponta IBGE

A inflação de março fechou em 0,16%, influenciada principalmente pelo aumento nos preços dos planos de saúde, tomate e cebola, conforme dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira, 10, no Rio de Janeiro. O índice do mês anterior foi de 0,83%.

Impacto dos alimentos na inflação

Entre os alimentos, a cebola teve uma alta de 14,34% e o tomate de 9,85%, com o açaí e o alho também apresentando aumentos significativos, de 14,20% e 7,90%, respectivamente. “A menor oferta desses produtos, agravada pelo El Niño, levou ao aumento dos preços em março”, explica André Almeida, pesquisador do IBGE.

Fique ligado! Participe do nosso canal do WhatsApp! Quero Participar

Outros produtos com aumento de preço

Além do tomate e da cebola, outros produtos alimentícios como banana prata (7,79%), mamão (6,40%), laranja pera (5,49%) e ovo de galinha (4,59%) registraram altas expressivas.

Planos de saúde e outros fatores

Os planos de saúde também tiveram um papel importante na composição da inflação do mês, com um reajuste de 0,77%, atribuído ao reajuste anual autorizado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Influência da deflação nos transportes

O grupo transportes registrou uma deflação de 0,33%, ajudando a conter a inflação geral, destacando-se a queda de 9,14% nas passagens aéreas. Gás veicular, óleo diesel e tarifa do ônibus urbano também apresentaram queda de preços.

Variação da inflação por região

A maior alta de preços foi observada em São Luís (0,81%), enquanto Porto Alegre registrou deflação de -0,13%. A variação de inflação entre as capitais e regiões metropolitanas reflete a heterogeneidade da economia brasileira.

A inflação de março, puxada por alimentos e planos de saúde, revela a sensibilidade do índice a variações na oferta e demanda desses produtos. Apesar da leve alta, o IBGE ressalta o impacto de eventos climáticos como o El Niño na agricultura e consequentemente nos preços ao consumidor, apontando para a importância de estratégias de mitigação desses efeitos.

COMPARTILHE ESTE POST:

Marina Carvalho
Marina Carvalho
Jornalista dinâmica especializada em multimídia e narrativa digital, com 10 anos de carreira. Liderou projetos de jornalismo móvel, trazendo inovação e interatividade para a cobertura de notícias.
MAIS NOTÍCIAS

Mais populares