Dreams
quinta-feira, 25 julho 2024
spot_imgspot_img

Governo do RS inaugura primeira cidade provisória para desabrigados em Canoas

A primeira cidade provisória do Rio Grande do Sul será inaugurada em Canoas, oferecendo abrigo para cerca de 630 pessoas desabrigadas pelas enchentes de maio. Saiba mais sobre a iniciativa.

Governo do RS inaugura primeira ‘cidade provisória’ para receber desabrigados por enchentes

Inauguração em Canoas

A primeira “cidade provisória” do Rio Grande do Sul será inaugurada nesta quinta-feira (4), em Canoas. O local, denominado “Centro Humanitário de Acolhimento (CHA) – Recomeço”, está situado próximo à Refinaria Alberto Pasqualini (Refap) e foi criado para proporcionar um novo início para famílias desabrigadas pela enchente que assolou o estado no mês de maio, resultando em 180 óbitos.

Estrutura do CHA – Recomeço

O Centro Humanitário de Acolhimento dispõe de 126 unidades habitacionais cedidas pela Agência da Organização das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), com capacidade para acolher cerca de 630 pessoas. A estrutura foi montada com “sistema octanorm (tubos de alumínio com oito lados) e placas de TS (material compacto e estável)”.

Fique ligado! Participe do nosso canal do WhatsApp! Quero Participar

Medidas de uma unidade habitacional

  • Tamanho: 17,5 m² (2,83 metros de altura, 5,68 de comprimento e 3,32 de largura)
  • Peso: 140 kg
  • Saídas: porta, quatro janelas, quatro espaços de ventilação e sistema simples de iluminação
  • Estrutura: paredes e teto de espuma poliolefina, um material isolante rígido à prova d’água e com propriedades que protegem do sol e do calor, sustentados por uma estrutura em aço que é fixada ao chão por ganchos que funcionam como âncoras
  • Tempo de montagem: de 4 a até 5 horas
  • Resistência: suporta ventos de até 101 km/h e chuva leve e tem pintura com proteção contra radiação solar
  • Validade: os abrigos podem atender à sua finalidade com qualidade por até três anos
cidade provisória,canoas,desabrigados
Centro Humanitário de Acolhimento em Canoas tem área de convivência — Foto: Divulgação/ Governo do RS

Instalações do pavilhão

O pavilhão do Centro Humanitário comporta:

  • Fraldário
  • Cozinha comunitária
  • Lavandeira
  • Centro de convivência
  • Espaço kids

Impacto das enchentes em Canoas

Canoas é o município com mais óbitos decorrentes da enchente, somando 31 mortos. A estimativa da prefeitura é de que cerca de 150 mil pessoas tenham sido atingidas no município, sendo que 104 mil foram para abrigos institucionais e voluntários. A cidade tem 347.657 habitantes, segundo o censo de 2022 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Evento de inauguração

O evento de abertura nesta quinta-feira contará com a presença do governador Eduardo Leite (PSDB) e do vice-governador e coordenador do projeto, Gabriel Souza (MDB). Também participarão da cerimônia secretários de Estado, o prefeito de Canoas, Jairo Jorge (PSD), e representantes das entidades parceiras e das empresas doadoras.

cidade provisória,canoas,desabrigados
Vida Centro Humanístico — Foto: Cesar Lopes/PMPA

Próximas inaugurações

Além desta inauguração, o governo do RS já tem programadas outras duas inaugurações de centros de acolhimento: no dia 10 de julho será inaugurada uma “cidade provisória” em Porto Alegre e, na semana seguinte, Canoas receberá mais um centro humanitário.

Locais dos centros de acolhimento

No total, os cinco Centros Humanitários de Acolhimento (CHAs) serão instalados em três locais de Porto Alegre e em dois de Canoas:

Porto Alegre

  • Estacionamento do Complexo Cultural Porto Seco, no bairro Santa Rosa de Lima
  • Vida Centro Humanístico, localizado na Avenida Baltazar de Oliveira Garcia
  • Centro de Eventos Ervino Besson, no bairro Vila Nova

Canoas

  • Avenida Guilherme Schell, n° 10.470, próximo à Refinaria Alberto Pasqualini (Refap)
  • Campo do Centro Olímpico Municipal (COM)
cidade provisória,canoas,desabrigados
Centro de Eventos Ervino Besson, na Zona Sul de Porto Alegre — Foto: Cesar Lopes/PMPA

COMPARTILHE ESTE POST:

Gabriel Figueiredo
Gabriel Figueiredo
Gabriel Figueiredo, jornalista baiano, nascido em Feira de Santana, com mais de 15 anos de experiência, é referência em notícias locais e inovação do Minha Bahia.
MAIS NOTÍCIAS

Mais populares